L O A D I N G
blog banner
Irezumi

História da Tatuagem: Irezumi

Acredita-se que a tradição japonesa de tatuagens possui cerca de 10.000 anos de existência. Entretanto, não há provas desse acontecimento, e as primeiras provas da existência da tatuagem no Japão datam a 5.000 A.C., são estatuetas de argila em forma de homem, com desenhos ou gravuras em seus rostos que foram encontradas em um túmulo.


Há também um excerto de uma história do século III, na qual o autor refere que “homens jovens e velhos tinham designs na cara e também em seus corpos”. Entretanto, na época, a China influenciou cada vez mais o Japão, e talvez tenha sido por essa mesma razão que no século VII a tatuagem começasse a ser utilizada como uma forma de identificar criminosos e prisioneiros (à semelhança das práticas utilizadas em Roma alguns séculos antes). Acredita-se que estes novos propósitos e conotações tenham sido a causa para a decadência da popularidade entre o povo japonês que se localizava mais perto do centro.


Entretanto, na periferia do país, cujo povo tinha o nome de Ainu, as pessoas não partilhavam dos mesmos hábitos que os restantes, pois homens e meninos pertencentes a esse coletivo continuavam deliberadamente a tatuar-se, sem qualquer conotação criminosa aliada a esse mesmo ato. Outro povo que manteve a tradição foram os Okinawanos, que continuaram a tatuar suas mãos e pés como prova de amor.


Embora ainda houvesse alguma tradição de tatuagem, em 1870, a tatuagem foi proibida no Japão. De 1600 até essa época, a tatuagem foi exaustivamente usada para marcar os criminosos mais perigosos, considerados assim pelas forças da lei, embora designs e motivos eram modificados mediante a cidade e povo. Estas marcas impediam os seus portadores de participar em cerimónias e atividades da comunidade.
Por volta dessa época, começou a prática de ilustrações que agora são conhecidas como “tradicionais” em madeira, para promover peças de teatro e para inserir em capas de livros. Este pequeno detalhe foi suficiente para que o povo se influenciasse nos desenhos presentes em obras literárias para dar uma nova vida à prática de tatuagem. Embora fosse considerada uma prática ilegal, certas comunidades fora do centro de Tóquio ainda possuíam o hábito de tatuar. Bombeiros, agricultores e membros de gangues ainda as exibiam. Estes trabalhadores vindos do exterior da cidade ganharam o nome de Yakuza, o que explica o porquê da ligação da tatuagem japonesa ao nome. O nome Yakuza significa membro de gangue, criminoso ou pessoa de classe baixa que migrou para a cidade com o objetivo de subir o nível de vida. Para este grupo de pessoas, as tatuagens eram vistas como uma prova de coragem e lealdade, devido à dor insuportável, assim como devido ao fato de ser um design que carregariam a vida toda.


Apesar de ser um ato proibido, a arte da tatuagem continuou a desenvolver no início do século XX, e surgiu o novo estilo desta arte, chamado Horimono. Este, ao contrário na conotação criminosa e de julgamento do estilo Irezumi (cujo termo significa marcar a pele), era inspirado em ilustrações de heróis famosos, e histórias com elementos da natureza complexos, cujo objetivo não era marcar a pele dos criminosos, mas sim a representação de algo poético no corpo. O nome horimono deriva da palavra horu, e significa “esculpir, marcar”. Embora fosse algo escondido do estado e regentes, desenvolveu-se a prática de fazer autênticas obras de arte, que se estendiam por uma grande área do corpo, desde o pescoço até aos tornozelos, sendo que os desenhos se adaptavam ao corpo, geralmente de forma coerente.


Esta prática inicia-se com a escolha do tema e do design por parte do cliente, e na primeira “consulta” seria adicionada a primeira parte do design, e ao longo dos anos, iriam adicionar as restantes partes até atingir a obra total acordada. Estas tatuagens, devido a todo o tempo, esforço mental e coragem necessárias para as completar, seria um dia mostrada publicamente, quando o momento fosse ideal. Assim, o portador da obra de arte seria visto como alguém corajoso e rebelde. Essas crenças estavam presentes no povo devido a várias razões, como conseguir viver uma vida em segredo, carregando em si uma obra de arte completa em segredo, que demorou anos a completar, demandando força de vontade e persistência por parte do cliente.


Esta forma de tatuagem surgiu como uma rebelião contra o estado, devido à injustiça da lei anti-tatuagem. Entretanto, esta arte não morreu devido ao número elevado de utilizadores, incluindo pessoas de famílias abastadas (algumas tatuagens, as mais complexas e coloridas, simbolizavam riqueza e poder). Havia também a prática, em meados do século XX, de bordar as roupas com cores fortes, de forma a que, durante a noite, sob a luz ultravioleta, pudesse sobressair o seu forte pigmento. O mesmo acontecia com as tatuagens, uma vez que seriam mostradas publicamente em certos eventos noturnos, onde as luzes ultravioleta transformariam as cores em algo mais.


Estima-se que, hoje em dia, ainda haja aproximadamente 200 pessoas com designs tradicionais de corpo inteiro, embora haja estilos e pessoas que se inspirem na tatuagem japonesa para fazer milhares de tatuagens.


E você, seria capaz de fazer uma tatuagem de corpo inteiro dedicada a um herói histórico, mesmo sabendo que poderia demorar meses? Nós da Arttu estamos para te ajudar a fazer a tatuagem dos seus sonhos! Fale conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *